segunda-feira, dezembro 20, 2010

Voltei!

Após 4 anos sem escrever neste blog, retorno à ele com muita empolgação e inicio contando sobre alguns acontecimentos. Comecei a escrever aqui e em seguida, em menos de um ano, passei a assinar a coluna Arte e Cultura do jornal e site Folha da Cidade, escrevi centenas de textos analíticos de grandes espetáculos teatrais à convite da Morente Forte Comunicações, fiz cobertura do Festival de Teatro de Curitiba e da VI Mostra de Teatro de Paraty. Não vou escrever uma “matéria”, mas somente contar algumas coisas:
Nos dias 26, 27 e 28 de novembro, aconteceu na cidade de Mangaratiba – Rio de Janeiro a VII Mostra Rio São Paulo de Teatro de Rua – Curadoria de Ailton Amaral e Vivaldo Franco, onde tiver a honra de assinar a produção executiva, mais uma nova e maravilhosa experiência. A Mostra contou com diversos espetáculos e entre eles: “As Formigas” dos atores angolanos Meirinho Mendes e Dulce Baptista. Foram 3 dias de grande acontecimento para a cidade.


No dia 28 apresentamos o espetáculo: “Salomé & Yocanaãn – Profanando a Profanação” mais uma honra, pois o texto é de minha autoria, peça baseada em Salomé de Oscar Wilde, onde contamos com muito humor este clássico e direção de um grande amigo, que admiro muito: Ailton Amaral e ao meu lado em cena o talentoso Arthur Lemos e participação em áudio da atriz Rosi Campos, que nos cedeu com carinho sua voz.
Postarei em breve uma matéria sobre a Mostra. Veja abaixo uma entrevista de Nanda Rovere com o elenco do espetáculo: Salomé & Yocanaãn – Profanando a Profanação.
Entrevista com os atores do espetáculo “Salomé & Yocanaãn – Profanando a Profanação” : Lell Trevsan, Arthur Lemos e Ana Carolina. Espetáculo anfitrião da VII Mostra Rio São Paulo de Teatro de Rua - Mangaratiba 2010
Lell Trevisan nasceu em São Paulo. Foi estudar teatro em Araraquara e depois voltou à capital em 2005. Faz teatro de rua. Participou dos grupos Polícromo Alecrim ( Araraquara), Cia Burucutu (Araraquara) e Cia Sem Máscaras ( São José dos Campos).
Em Mangaratiba, com o colega Arthur Lemos, encenou Salomé e Yocanaãn, de sua autoria. O texto é uma homenagem ao escritor Oscar Wilde. Conta a história do amor entre Salomé e o prisioneiro Yocanaãn.
Arthur e Ana Carolina são estreantes no teatro. Arthur está em cena ao lado de Trevisan, Ana é responsável pela sonoplastia da montagem. A
direção é do Ailton Amaral e a produção do Arteatro.
Mostra Rio-São Paulo de Teatro de Rua - Como ocorreu a sua vinda para Mangaratiba?
Lell Trevisan - Eu estava trabalhando com uma companhia chamada Cia Sem Máscaras, em São José dos Campos e o Ailton me ligou no finalzinho de julho me pedindo para fazer um espetáculo chamado Se Toc, aqui em Mangaratiba. Mas durante o processo houve um problema técnico e paramos de ensaiá-lo. Aí resolvemos montar Salomé & Yocanaãn.
MRS - Depois da estréia na Mostra, já tem mais apresentações agendadas?
Lell Trevisan - Já temos apresentações para janeiro em algumas cidades, entre elas, Paraty. Espero que possamos apresentá-la por muito tempo.
MRS - Como foi o processo de trabalho?
Lell Trevisan - O Ailton não usa cenários, mas 50 m de panos que viram cenários e figurinos. Eu e ele nos conhecemos há cerca de 7 anos e eu sempre tive vontade de ser dirigido por ele. Além de atuar no espetáculo, sou produtor executivo da Mostra. A experiência foi muito instigante porque Mangaratiba é uma cidade muito deficiente na área cultural. Quando vim para cá estava com vontade de parar de fazer teatro, mas a paixão pela ¨arte falou mais alto¨.
MRS - O que achou da mudança da Mostra de Paraty para Mangaratiba?
Lell Trevisan -Paraty é uma cidade muito bonita e era muito gostoso ir para lá prestigiar a mostra, mas Mangaratiba estava precisando de um evento como este, pois, como já citei, a cidade é carente na área cultural. Valeu a pena me dedicar para que tudo saísse o melhor possível.

MRS - Como surgiu o interesse pelo teatro? É a sua estréia, não?
Arthur Lemos - Sim. Quando o Ailton abriu vagas para curso de teatro aqui em Mangaratiba, eu me interessei e comecei a fazer aulas com ele na escola João Paulo II. Não estavamos em número suficiente de alunos para estudarmos textos com muitos personagens, então, ele decidiu fazer aulas/ensaios. Como o Lell disse, ensaiamos Se Toc, mas houve muitas trocas de elenco; sobraram Lell, eu e Ana ( que está nos ajudando na produção) e achamos melhor montar Salomé.
MRS - Como é receber pessoas de fora para um evento cultural?
Ana Carolina -Muito cansativo, mas ao mesmo tempo prazeroso. É muito bacana conhecer novas pessoas e ver espetáculos de rua com grupos de várias localidades.
MRS - O que vocês podem falar sobre a vida cultural em Mangaratiba?
Arthur - Ana - O que acontece aqui são apresentações nas escolas. A população sente falta de eventos culturais e por isto estão gostando muito da Mostra. Não há uma tradição cultural, mas acredito que se apresentações de teatro ocorrerem com mais frequência as pessoas criarão o hábito de prestigiar espetáculos.

Salomé & Yocanaãn - Profanando a Profanação de Lell Trevisan, com Arthur Lemos e Lell Trevisan, participação em áudio Rosi Campos, direção: Ailton Amaral.
Entrevista por Nanda Rovere