quinta-feira, junho 20, 2013

Cissa Guimarães em Doidas e Santas

Texto de Regiana Antonini, inspirado no livro de

Martha Medeiros

Direção Ernesto Piccolo

Estreia dia 05 de julho no Teatro das Artes

O espetáculo que divertiu e emocionou mais de 130 mil pessoas no Rio de Janeiro e foi aclamado por público e critica chega a São Paulo para temporada de três meses

E, a partir de outubro, poderá ser visto nas cinco regiões do país.

Projeto idealizado por Cissa Guimarães, a comédia romântica Doidas e Santas, texto de Regiana Antonini livremente inspirado no livro homônimo de Martha Medeiros encerrou temporada no Teatro Vannucci em novembro de 2012, sendo vista por mais de 130 mil pessoas desde sua estreia, tornando-se um dos espetáculos de maior sucesso da cena teatral carioca dos últimos tempos.

Com direção de Ernesto Piccolo, a plateia é seduzida pela trajetória de Beatriz (Cissa Guimarães), uma psicanalista em crise no casamento: o marido (Giuseppe Oristanio), turrão e machista, desaba quando recebe dela a notícia de que deseja a separação. A irmã, a mãe e a filha de Beatriz (vividas pela atriz Josie AntelloE Tatá Lopes como stand in) dão tempero extra à história.

No espetáculo, o público compartilha de alegrias, desilusões, neuroses da vida urbana, o prazer que se esconde no dia a dia, as relações amorosas, os mistérios da maternidade, o poder transformador da coragem e do afeto.

Além de idealizadora do projeto, Cissa Guimarães também é produtora em parceria com Maria Siman e Primeira Página Produções.

Sinopse
A peça conta a história de Beatriz, uma mulher moderna, psicanalista atuante, e casada com Orlando, um marido tradicional, usuário do terno nos dias úteis e amante da cervejinha com futebol nos finais de semana. Estão juntos há 20 anos, num casamento rotineiro, sem grandes eventos, e são pais da adolescente Marina.

Beatriz não se sente feliz, acredita que sua história com Orlando já acabou, que a relação perdeu o frescor e que estão juntos somente por acomodação. A partir de uma conversa com sua irmã, a solteirona Berenice, com quem abre seu coração, Beatriz decide se separar de um previsível, mas inconformado Orlando.

Livre e desimpedida, Beatriz se lança à vida – diverte-se, ouve seus discos, faz todos os passeios que deseja, engata um romance com um jovem rapaz, e finalmente crê estar feliz. Seu sossego só é interrompido pelas ocasionais visitas da delirante D. Elda, sua mãe, que vive às turras com a neta Marina. A nova vida de Beatriz parece seguir como ela sempre sonhou, até que um dia Orlando volta a procurá-la, e o que tem a lhe dizer muda mais uma vez seus planos.

A Origem da Peça

‘Doidas e Santas’ é um projeto idealizado por Cissa Guimarães, e sua primeira produção em 33 anos de carreira no teatro. A atriz sempre desejou levar à cena um trabalho que expressasse as inquietações da mulher moderna com relação à vida contemporânea, que exige conjugar marido, filhos, realização profissional e ainda beleza e bom humor. Cissa encontrou nos textos de Martha Medeiros a motivação para tocar seu projeto e, depois de conversar com a escritora, convidou Maria Siman para produzir o espetáculo e o amigo de mais de 30 anos Ernesto Piccolo para dirigi-la. Piccolo é diretor de ‘Divã’, sucesso teatral de Lilia Cabral também adaptado de obra homônima de Martha Medeiros; e ainda da bem-sucedida ‘A História de Nós 2’.

Cissa comemora a oportunidade de trabalhar pela primeira vez junto aos seus filhos João e Thomaz Velho, que assinam a assistência de direção e o design gráfico, respectivamente.

O livro de Martha Medeiros é uma coletânea de crônicas independentes, mas forneceu a matéria-prima de que precisava Regiana Antonini para construir o enredo bem-humorado desta mulher moderna que identificamos a todo momento e em qualquer parte. Regiana acrescentou ainda à dramaturgia algumas histórias divertidas que ela mesma viveu, e que, por afinidade, poderiam muito bem ser encontradas no livro de Martha.

O cenário é de Sérgio Marimba, a iluminação de Jorginho de Carvalho, a trilha sonora de Rodrigo Penna, os figurinos de Helena Araujo e Djalma Brilhante e a direção de produção de Maria Siman, vencedora do Prêmio APTR-2008 na categoria Melhor Produtora por ‘Ensina-me a Viver’.

‘Doidas e Santas’ tem patrocínio de Bradesco Seguros e Ministério da Cultura. Os recursos foram captados através da Lei Federal de Incentivo à Cultura – Lei Rouanet.

Indicado pelo Jornal O Globo e pela revista Veja Rio como um dos melhores espetáculos da temporada carioca em 2011 e 2012.

Destaques da crítica carioca

“Cissa Guimarães está muito convincente no papel principal, usando impostação de voz e movimentos corporais na medida certa”.

“Sem recorrer à caricatura, Josie Antello faz graça explorando peculiaridades nos modos de falar e nos gestos de cada uma das três personagens que representa”.

Carlos Henrique Braz - Veja Rio



“O tema “separação” é bem explorado e provoca boas gargalhadas... Além de encarar sua personagem com muita veracidade, Cissa exibe excelente forma física e cativa a platéia. Giuseppe Oristânio não fica atrás no marido truculento e Josie rege com maestria suas três personagens”.

Adriana Lins - Revista Contigo



“Fé na trama e no texto! O texto tem humor próprio resultando em um espetáculo divertido e ágil. Cissa expressa bem simplicidade e complexidade, alegria e tristeza, ingenuidade e sabedoria”.

Bárbara Heliodora – Jornal O Globo