sábado, maio 24, 2014

Etty Fraser

Etty Fraser e Lell Trevisan
Etty Fraser é uma das atrizes de maior importância no Teatro Nacional, tive o prazer de passar alguns dias inesquecíveis ao lado da atriz, iniciando uma viagem juntos, altas conversas de muita risada e muita história durante o percurso. Passeios de braços dados pela cidade de São José dos Campos, café da tarde na lanchonete preferida, jantar ao lado do Padre Luiz (O padre das estrelas), almoço e finalizando um delicioso papo em sua casa, repleto de histórias.

Etty Fraser nasceu em 1931 no Rio de Janeiro, se mudou para São Paulo aos seis anos e estudou em um colégio interno com sua irmã na Inglaterra. É filha de mãe Polonesa e pai Argentino. Voltou para o Brasil e se tornou professora de inglês. Através de sua aluna, Etty Fraser descobriu o Teatro, ambas foram assistir: “Vento Forte Para Papagaio Voar” em um pequeno teatro na Bela Vista, neste dia conheceu toda a galera que em pouco tempo formaria o Oficina. Depois de estrear profissionalmente em “A Incubadeira” (1959), fundou o Teatro Oficina com a peça: “A Vida Impressar em Dólar” (1961) com direção de Zé Celso Martinez Correa ao lado dos alunos da Escola de Direito do Largo de São Francisco. Etty diz que Zé Celso foi um dos maiores diretores que ela já teve. Participou de grandes montagens do Teatro Brasileiro: “Pequenos Burgueses”, “O Rei da Vela” que continha em 3 atos: circo, teatro de revista e ópera, “Toda Donzela tem um Pai que é uma Fera”, “Galileu Galilei”, “Capital Federal” entre outras. Em 1966 entrou para a TV e atuou em “Ninguém Crê em MIM” escrita por Lauro César Muniz na TV Excelsior e em 1968 fez “Beto Rockfeller” de Cassiano Gabus Mendes na TV Tupi. Por 8 anos, Etty, apresentou o programa de culinária: “Boca do Forno” que depois virou “À Moda da Casa”. Etty disse que quando a TV Tupi fechou (1980), ela já tinha feito todas as novelas da emissora, então a Rede Globo convidou todos para ir ao Rio fazer suas novelas. O diretor de sua agência de publicidade à convidou para fazer o programa de culinária ganhando o dobro que receberia na Rede Globo, na Tv Bandeirantes participou das novelas: “Cavalo Amarelo” e “Dulcinéia vai à Guerra” e na Rede Globo estreou com “Torre de Babel” (1998) E em 2004 participou da minissérie “Um Só Coração”. No cinema a veterana atriz, conhecida como a “Gordinha Risonha” participou de mais de 10 filmes como: “Em cada Coração um Punhal” que ela julga ser o filme mais importante de sua carreira e “Durval Discos” (2002), “Pensei que depois desse filme, fossem surgir outros convites, mas não surgiu” Falou Etty, que completou dizendo que Anna Muylaer dirigiu as cenas dela e do Ary França como se fosse teatro.

Nos anos 90 era muito comum encontrar Etty Fraser nos vendendo broches com as máscaras da comédia e tragédia, e isso para arrecadar fundos para os artistas soropositivos da F.A.C.T. Associação Fundo de Assistência à Classe Teatral, em 1994, criada pela atriz, e mais Beto Simões, Elizabeth Hartman, Irene Ravache, Ligia de Paula, Marcos Caruso, Miriam Mehler, Roberto Vignatti e Chico Martins. “Começamos através da venda de broches com símbolo do teatro; as duas máscaras representando alegria e dor” Disse Etty.

Em 2009, a atriz foi contratada pelo SBT e participou da novela “Uma Rosa com Amor”.

Etty Fraser faz parte da história do Teatro Paulista, e com carinho que venho falar sobre esta atriz, que não tive a honra de vê-la em cena, a não ser no dia que fomos à missa juntos, na paróquia do Padre João Luiz e lá ela fez uma leitura, depois disso fomos almoçar juntos e o que mais me surpreendeu, jovens pedindo para fotografá-la e ela carinhosamente correspondia ao assédio. Sua casa é um espetáculo à parte, um dos quartos ela guarda fotos e diversas pastas com matérias em jornais, já gastos pelo tempo.

“O teatro é a base de tudo. O jovem que quer começar tem que ser através do teatro e eles não querem, querem começar logo pela televisão. Seria o comércio da vaidade”.