quinta-feira, maio 08, 2014

Morre o Diretor Moisés Miastkwosky


Faleceu o teatrólogo Moisés Miastkwosky aos 61 anos, nesta terça-feira, dia 6, em São Paulo, devido a problemas de insuficiência respiratória, em São Paulo.

Em sua trajetória, Moisés teve também destacada atuação nas décadas de 60 e 70 dentro do cenário do teatro amador de Sorocaba, um dos mais fortes e efervescentes do interior do Estado na época. O féretro foi realizado no início da tarde de ontem mesmo no Cemitério Israelita, também na Capital, onde residia desde o início da década de 90.

Miastkwosky foi também o responsável pela criação do Setor de Artes Cênicas do Conservatório Dramático e Musical "Dr. Carlos de Campos", da vizinha cidade de Tatuí, e o idealizador do seu Festival Estudantil de Teatro, tido hoje como o mais longevo festival de Artes Cênicas do Estado de São Paulo. Ele assinou a direção do Festival até o ano de 1992, quando deixou de trabalhar no Conservatório de Tatuí, após 16 anos de implantação do curso de Artes Cênicas.

Encenador de mais de 85 espetáculos teatrais.

Moisés Miastkwosky formou-se em Artes Cênicas na Bélgica, onde fez estágio no Théâtre Toyal de la Monnaie e no Mudra Interacional, além de estudar no Houston Academy of Dramatic Arts, no Texas, Estados Unidos. Foi encenador de mais de 85 espetáculos teatrais, entre eles "Antígone", "Édipo Rei", "Prometeu Acorrentado", "O Santo Inquérito", "A Pane", "Morte e Vida Severina", "Transe", "O Canto do Cisne", "Os Fuzis da Senhora Carrar", "Curto-Circuito", "O Assalto", "O Terrível Capitão do Mato", "Álbum de Família", "Beijo no Asfalto", "Os Sete Gatinhos", "Bailei na Curva", Mulheres Trágicas", "Um Grito Parado no ar", "A Casa de Bernarda Alba", "O Casamento Forçado", "Um Paroquiano Inevitável", "Entre Quatro Paredes", "O Levante do Gueto de Varsóvia", "O Diário de Anne Frank", "Desgraças de uma Criança", "Equus", "Sonho de uma Noite de Verão", "Abra a Janela de Deixa Entrar o Ar da Manhã", "Inri, a Paixao" e "Cromossomos", todos eles com grande sucesso de público e crítica.

Criou ainda o Festival Estudantil de Teatro do Estado de São Paulo, também na cidade de Tatuí, no CDMCC, em 1982, assim como o Concurso Nacional de Dramaturgia "Paulo Setúbal", pela Secretaria de Estado da Cultura. Foi jurado de mais de 50 festivais de teatro pelo País, entre eles o Festival de Teatro do Sesc, Festival Nacional de Teatro de São José do Rio Preto, Festival de Teatro da Paraíba, Festival de Teatro da Fepama, Festival de Teatro de Presidente Prudente, Festival de Teatro do Paraná, Fentepita Piracicaba, Festival Nacional de Teatro de Americana, Festivale, Festival Tropeiro de Teatro (Sorocaba) e Bienal de Teatro. Era membro da Sociedade Brasileira de Autores Teatrais (Sbat), desde 1973; do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos (Sated), Instituto de Artes Cênicas do Estado de São Paulo (Icacesp), Task-Brasil, com sede em Londres, Inglaterra, e da Moisés Miastkwosky Produções Artísticas. Foi membro ainda da banca examinadora do Sindicato dos Artistas e criou vários festivais e mostras de teatro pelo Estado de São Paulo. Ministrou oficinas e cursos em vários estados brasileiros: Paraná, Paraíba, Acre, São Paulo e Rio de Janeiro, entre outros, inclusive Brasília. Criou igualmente dezenas de grupos teatrais, em Dracena, Adamantina, Andradina, Tatuí, Sorocaba, Araçatuba, Santos, Americana e tantas outras cidades.

Foi supervisor geral do espetáculo "Viva a Vida Viva", na ECO 92, no Rio de Janeiro, com a presença do Dalai Lama, Príncipe Charles e outras autoridades mundiais. Foi diretor de teatro da multinacional Rhodia, dos grupos de teatro do clube A Hebraica por 10 anos, diretor e coordenador de teatro do Conservatório de Tatuí durante 15 anos e dirigiu teatro no Clube Paineiras por 14 anos. Recentemente, recebeu prêmios de melhor espetáculo e melhor diretor com as montagens "Casamento do Pequeno Burguês" (2012), "As Troianas" (2006) e "Senhora dos Afogados" (2006). Coordenou a oficina-projeto "Prometeu Acorrentado", na Oficina Mazzaropi, em São Paulo, com 70 integrantes, e "Morte e Vida Severina", em 2010.

Em sua última entrevista cedida ao Conservatório de Tatuí em 2011, ocasião em que foi homenageado pela instituição, afirmou: "Sinto-me honrado pela lembrança, pois não existe coisa mais triste do que a falta de reconhecimento. Mas, felizmente, isto não acontece: Tatuí e o Conservatório não me esquecem nunca! Quando passo por aqui, sempre sou cercado por muito carinho e respeito de todos e reconhecimento pelo que criei com ajuda desse povo das artes".

O ator Cassio Scapin escreveu: "Estou chocado com a notícia do falecimento de Moises Miastkwosky, ontem recebi uma mensagem linda dele, dizendo que nos conhecíamos há 25 anos e queria me ver sempre nos palcos! Estou absolutamente transtornado e chocado".