domingo, junho 01, 2014

A BESTA - Até dia 17 de Agosto


Priscila Fantin, Hugo Possolo, Celso Frateschi, Ary França e Iara Jamra

em

A BESTA

Com Alexandre Bamba, Carol Mariottini, Dani Mustafci, Fabek Capreri e Renan Duran.

De David Hirson
Direção Alexandre Reinecke

Em cartaz no Teatro Gazeta

Considerado durante dois anos como O Rei da Comédia pela Revista Veja São Paulo, Alexandre Reinecke completa 30 anos de carreira e conta 50 peças no currículo, tendo atuado em 10 e dirigido 40. E para comemorar sua 40ª direção teatral, Reinecke fez a junção de grandes mestres da comédia e do teatro, reunindo no mesmo elenco: Hugo Possolo (Parlapatões), Ary França (Ornitorrinco) e Iara Jamra (Pó de Minoga), de grupos de extrema importância no cenário nacional. Destaca-se também Celso Frateschi, reconhecido por sua atuação em dramas, agora em uma de suas primeiras incursões na comédia. E ainda Priscila Fantin que além de atuar na TV e no cinema também investe em sua carreira no teatro há alguns anos. Ao todo, são dez atores na peça que faz uma homenagem à arte e leva o público às gargalhadas.

La Bête, ou A Besta, é uma comédia escrita pelo dramaturgo norte-americano David Hirson (nascido em 1958). O espetáculo estreou na Broadway em 1991 com grande sucesso e recebeu entre outros prêmios, o Olivier Award de melhor comédia, em 1992. Sua última e mais importante montagem aconteceu em 2010, no West End de Londres, com Mark Rylance no elenco. Tal montagem foi um grande sucesso de público e critica, ficou vários meses em cartaz e, de lá, seguiu para a Broadway, com o mesmo elenco.

Inspirada em Molière e sua trupe, a farsa é ambientada na França, em 1654, na propriedade de uma Princesa (Priscila Fantin), a patrocinadora da companhia de teatro. A história fala do conflito entre dois homens: Elomire (Celso Frateschi) nome que é um anagrama do nome de Molière, o diretor da companhia, artista sério e respeitado; e Augusto Valério (Hugo Possolo), um comediante popular, canastrão e vaidoso. Ocorre que Valério caiu nas graças da Princesa patrocinadora e ela insiste para que ele passe a integrar a trupe.

Apesar de Elomire rejeitar furiosamente a ideia de incorporar Valério, a companhia é obrigada a encenar uma de suas peças, o que vai gerar uma transformação no futuro de seus artistas.

É um texto a um só tempo requintado e hilário, que dá aos atores oportunidade de esbanjar talento nos monólogos cômicos em que defendem suas ideias e coloca uma discussão surpreendente sobre arte erudita, arte popular, preconceito e entretenimento.

A Besta é uma realização da Reinecke Produções Culturais, Ricca Produções Artísticas e Parlapatões com patrocínio da Vivo, através do projeto Vivo EnCena, e Porto Seguro. Copatrocínio de Finep, Jaguar, Land Rover e União Química.

Parlapatões em A Besta

“Em 22 anos de estrada, os Parlapatões sempre percorreram os rumos da comédia, tendo encenado mais de cinquenta espetáculos. Nosso humor festivo, que favorece o improviso, bebeu na fonte clássica e já passou por Shakespeare, Molière, Aristófanes e Rabelais, mestres do gênero. Encontrar a bem-sucedida A Besta é como fazer um resumo de uma divertida aventura. As situações vividas pelas extrovertidas personagens desta comédia traçam um retrato profundo do ofício de comediantes e resultam até numa fina autoironia, deixando-nos à vontade para rirmos de nós mesmos. Este espírito apaixonante do ator por sua arte, que o texto traduz tão bem, gera um enorme envolvimento do público e certamente agradará as mais variadas plateias, por sua comunicação clara e imediata. Este projeto se torna melhor ainda, uma vez que concretiza antigas vontades artísticas de nosso grupo, como a de trabalhar com um diretor mestre da comédia como Alexandre Reinecke. A peça reúne nomes expressivos do teatro que celebram juntos essa homenagem à arte que A Besta traz em si, para levar o público às gargalhadas e para celebrar a arte teatral.”
Hugo Possolo

O Olhar do Diretor

“Poucas vezes se vê, em nossos dias, uma comédia com dramaturgia toda rimada, criativa e inteligente, que remeta o público à Idade Média, com dez atores em cena e uma grande produção. Em ano de Copa do Mundo, nada melhor que uma seleção de craques da comédia. Montar A Besta com os Parlapatões e sua trupe é a realização de um sonho. Eles são OS caras da comédia paulistana, com quem, há muito, venho tentando uma parceria. A eles junta-se um dos melhores produtores do país, Giuliano Ricca, meu parceiro de anos, que de cara abraçou este projeto tão grande e ambicioso. É realmente um “dream team”… Enfim, realizar este projeto significa investir na força do teatro e na grandeza do diálogo refinado, que nesta obra consegue ser popular, e na pujança de uma peça que vai encantar o público, com muito humor, inteligência e grande importância para o teatro brasileiro.”
Alexandre Reinecke

Sobre o Projeto Cultural Vivo EnCena

O Vivo EnCena é uma iniciativa da Vivo que estimula o intercâmbio de projetos de artes cênicas com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento do país e da sociedade como um todo. O teatro é pensado além do espetáculo, sendo estabelecida uma rede de ações de formação de plateia, inclusão cultural e desenvolvimento profissional, compartilhando histórias inspiradoras, conceitos inovadores e ideias transformadoras no âmbito da cultura. O Vivo EnCena é realizado há dez anos e está presente em 20 estados de todo o país, além de realizar ações próprias e a curadoria do Teatro Vivo, situado na capital paulista.


Ficha Técnica:

Texto: David Hirson
Direção: Alexandre Reinecke
Tradução: Clara Carvalho
Assistente de direção:Fernanda Cunha

Elenco:
Priscila Fantin, Hugo Possolo, Celso Frateschi, Ary França, Iara Jamra, Alexandre Bamba, Carol Mariottini, Dani Mustafci, Fabek Capreri e Renan Duran.

Cenografia: Jose de Anchieta
Designer de luz: Fran Barros
Figurinista: Fabio Namatame
Adereços / Chapéu: Antonio Ocelio de Sa Alencar
Trilha Original: Daniel Maia
Fotos: João Caldas
Programação Visual: Estação Design
Assessoria de imprensa: Morente Forte
Diretor financeiro: Andre Mello
Administração financeira:Ricca Produções (Patrícia Velho, Thiago Oliveira)
Administração geral:Ricca Produções
Produção executiva: Carmem Oliveira
Assistentes de Produção: Estevão Diniz
Direção de produção: Giuliano Ricca
Produtores Associados: Alexandre Reinecke, Giuliano Ricca, Hugo Possolo
Realização: Reinecke Produções Culturais, Ricca Produções Artísticas, Parlapatões

Serviço

A BESTA

Teatro Gazeta (650 lugares)
Avenida Paulista, 900 – Térreo
Informações: 3253.4102

Bilheteria: de terça a quinta, das 14h às 20h. Sexta a domingo das 14h até o horário do espetáculo. Aceita cartões de débito e dinheiro. Cartão de crédito somente pelo site ou telefone. Estacionamento: convênio com MultiPark (Rua São Carlos do Pinhal, 303 – subsolo do teatro). R$ 20 por 3h.

Vendas: www.teatrogazeta.com.br e 4003.1527
Sextas às 21h | Sábados e Domingos às 20h
Ingressos: Sextas R$ 50 | Sábados e Domingos R$ 60
Duração: 90 minutos
Recomendação: 12 anos

Estreou dia 23 de Maio
Temporada: até 17 de agosto