quarta-feira, junho 04, 2014

NÃO EXISTE MULHER DIFÍCIL - Até 26 de Junho


Andre Bankoff 
em

NÃO EXISTE MULHER DIFÍCIL

Texto: André Aguiar Marques
Adaptação: Lucio Mauro Filho
Direção: Roberto Lage

Toda Quinta no Teatro Shopping Frei Caneca

Mulher difícil existe ou não? Quais são as estratégias para conquistar este ser tão complexo? Estas e outras questões são colocadas de forma bem-humorada no espetáculo Não Existe Mulher Difícil, toda quinta-feira, às 21h30, no Teatro Shopping Frei Caneca.

Inspirada no livro homônimo de André Aguiar Marques, com texto adaptado por Lúcio Mauro Filho, a peça é um monólogo dinâmico e moderno que retrata de forma divertida o que um homem faz após uma separação. Depois de ser deixado pela mulher, o personagem volta ao universo dos solteiros e se vê em uma nova realidade: as mulheres estão mais independentes e a cada dia mais exigentes. Como lidar com essas e outras questões em seus novos relacionamentos? Como as mulheres pensam e o que elas querem? Espetáculo imperdível para homens e mulheres, casados ou solteiros.

Dirigido por Roberto Lage, André Bankoff assume seu primeiro monólogo no espetáculo que já foi visto por mais de 100 mil espectadores, na montagem que estreou em 2010, dirigida por Otávio Müller e protagonizada por Marcelo Serrado. “Em 2011 fui convidado para substituir o Serrado, mas como eu estava gravando, não consegui naquele momento aceitar o convite. Em 2013, quando eu estava acabando de gravar a novela Saramandaia, recebi uma ligação da Rosangela, produtora do espetáculo, que novamente me convidou. Aceitei. Depois de três anos, finalmente vou encarar meu primeiro monólogo. Acho assustador estar sozinho em cena. É uma grande responsabilidade, porém, divido isso com meu diretor, meus produtores, a técnica… e tudo acaba ficando mais leve”, conta Bankoff que assume instigado com o desafio.

O autor conta que o livro é uma grande brincadeira com o público feminino e masculino. “Existe mulher difícil, só que elas estão em extinção. As mulheres estão muito exigentes, e os homens não entendem o que está acontecendo. O nome do livro brinca com um dito popular antigo, que tem muitas variações: ‘não existe mulher difícil, existe homem que bebeu pouco’, entre outras. O legal é que a história serve para homens e mulheres, é útil para elas não caírem nos golpinhos dos homens, e para eles se atualizarem e cantarem melhor as mulheres”, explica André.

Lucio Mauro Filho fala com humor sobre o projeto. “Não existe mulher difícil. Existe diretor difícil, ator difícil, produção difícil e um adaptador quase impossível! Risos… André Aguiar Marques nos introduziu no mundo masculino da cafajestagem, e decidimos passar pra frente este legado. Lendo o livro e vendo a peça, o público percebe que, na verdade, o cafajeste é um homem de bem”, ressalta o ator/adaptador.

Para André Bankoff, a mulher difícil é real. “A mulher já nasce difícil! Existem vários tipos de mulheres, e cabe a nós homens decifrarmos e aprendermos um pouco sobre cada uma. Mas será que isso é possível? Aprender um pouco sobre cada tipo de mulher? Precisamos tentar, é nosso dever como companheiro, amigo, marido, namorado, enrolado, tico-tico no fuba, entender as mulheres, por mais difícil que seja. Existe sim mulher difícil!”

ANDRÉ BANKOFF – ator

Formado pela Oficina de Atores da Rede Globo, iniciou seus trabalhos como ator aos 12 anos. Desde então André já comprovou seu talento em diversas participações na TV, filme e teatro. Suas mais recentes aparições foram nas novelas Morde e Assopra e Saramandaia, da Rede Globo. Além da peça, Bankoff poderá ser visto no filme Do Lado de Fora, de Alexandre Carvalho, seu primeiro longa onde faz par romântico com Marcelo Airold, e na série O Negócio, da HBO.

LÚCIO MAURO FILHO – Adaptação

Iniciando sua carreira através do teatro Tablado, começou com um quadro no programa Zorra Total da Rede Globo e tem papel de destaque no seriado A Grande Família com o carismático personagem Tuco desde 2001. No cinema possui diversos longas no currículo entre eles: Muita calma nessa hora 2 (2014), Vai que dá certo (2013), Muita Calma nessa hora (2010), A Guerra dos Rocha (2008), Saneamento básico (2007), A Grande família o filme (2007), 1972 (2006), O Coronel e o Lobisomen (2005), entre outros. Com uma linha cômica e moderna, traz ao texto um tom real, que nos transporta para situações do dia a dia.

ROBERTO LAGE - Direção

Roberto Lage começou a carreira de diretor, em 1969, no teatro amador. Em 1974 dirigiu seu primeiro sucesso, Mrozek, reunião dos textos Strip Tease e Em Alto Mar, de Slawomir Mrozek. Com o espetáculo A Flor da Pele, de Consuelo de Castro, recebeu o Prêmio Molière de melhor direção. Em 1993 dirigiu, em Portugal, Para Tão Longo Amor de Maria Adelaide Amaral. A montagem de Clips e Clops, uma colagem de quadros clássicos de clowns, rendeu-lhe o prêmio APCA de melhor diretor, em 1998, ano em que ao lado do ator Celso Frateschi fundou o Ágora – Centro para Desenvolvimento Teatral. Em 2002 dirigiu A Mandrágora, de Maquiavel, para o projeto de formação de público da Secretaria Municipal de Cultura, com curadoria de Gianni Ratto. No ano seguinte levou estreou no Ágora a montagem inédita Os Justos, de Albert Camus, e, a seguir, dirigiu Celso Frateschi em Sonho de Um Homem Ridículo, de Dostoievski, Ricardo III, de W. Shakespeare. A Flauta Mágica, adaptação de Vladimir Capela, foi a sua primeira direção em 2007, numa produção do Teatro Imprensa e Centro Cultural Grupo Silvio Santos. Em 2008, voltou a Portugal para dirigir Um Merlin, de Luis Alberto de Abreu, uma produção da Seiva Trupe de Portugal. De volta ao Brasil o desafio foi adaptar a obra de Milton Hatoum, Dois Irmãos (também uma produção do CCBB) e, em 2010, dirigiu a comédia Escola de Mulheres, de Molière, e o monólogo Dos Escombros de Pagu, de Tereza Freire, uma homenagem ao centenário de Pagu. Em 2011 dirigiu a ópera Carmen, de G. Bizet, no Theatro São Pedro/SP. Francesca (de Luís Alberto de Abreu) e Enlace – A Loja dos Ourives (de Karol Wojtyla, dramaturgia de Elísio Lopes Jr.) são produções que ele comandou em2012. Em 2013, dirigiu Coração Bandoleiro (de José Antônio de Souza) e Tic Tic Tati (com a cantora Fortuna), entre outros.

Ficha Técnica
Texto: André Aguiar Marques
Adaptação: Lucio Mauro Filho
Elenco: André Bankoff
Direção: Roberto Lage
Direção de produção: Rosangela Ribeiro
Direção de arte: Maria Borba
Direção musical: Marcio Tinoco
Administrativo e direção executiva: Denise Escudero
Direção de palco: Junior Brasil
Trilha Sonora: Dany Rolland
Iluminação: Paulo Denizot
Produção: New Marketing Comunicação

Serviço

NÃO EXISTE MULHER DIFÍCIL
Teatro Shop. Frei Caneca (600 lugares)
Rua Frei Caneca, 569 / 7º andar
Bilheteria: 3472.2229
Terça a domingo, a partir das 13h. Aceita todos os cartões de débito e crédito, não aceita cheque. Estacionamento do shopping – R$ 9 por duas horas

Vendas: 4003.1212 – www.ingressorapido.com.br

Quintas às 21h30
Ingressos: R$ 70
Duração: 60 minutos
Recomendação: 14 anos

Estreou dia 10 de Abril
Temporada: até 26 de junho