quarta-feira, novembro 19, 2014

Artistas de renome encenam Pluft, O Fantasminha


Dica de NANDA ROVERE

O clássico texto infantil de Maria Clara Machado terá quatro apresentações no Teatro Procópio Ferreira, em São Paulo. No palco estão Claudia Abreu, Graziella Moretto, José Lavigne, Thelmo Fernandes, Miram Freeland, Sergio Maciel, Pedro Kosovski e João Sant’anna ( todos estudaram no Tablado, escola de teatro criada por Maria Clara Machado). A direção é de Cacá Mourthé, sobrinha de Maria Clara e atual diretora da escola de teatro. Sessões dias 22 e 23 de Novembro, às 11h00 e às 15h00.

A montagem carioca é uma homenagem aos dez anos de sua mais recente montagem, trazendo mais uma vez Claudia Abreu no papel-título.

Claudia declara que Pluft, O Fantasminha significa o seu eterno retorno ao Tablado e que faz esse trabalho para os seus filhos: “Eu quis voltar a fazer a peça porque tive três filhos depois da outra montagem, e eles têm menos de 6 anos! Quis fazer especialmente para eles. Acho que vai ser um marco carinhoso na infância deles. Espero me divertir muito, como da primeira vez, e também descobrir novas formas de fazer essa peça maravilhosa. O contato com as crianças é sempre surpreendente e encantador!”, diz a atriz.

O espetáculo iniciou turnê em Salvador após bem sucedida temporada em 2013, no Teatro O Tablado / RJ, seguindo para Belo Horizonte, Porto Alegre e agora São Paulo.

Foi indicado ao Prêmio Zilka Sallaberry 2013 nas categorias Melhor Cenário, Melhor Figurino, Melhor Produção, Melhor Iluminação e recebeu dois prêmios: Menção Honrosa e Melhor Atriz (Claudia Abreu.

O objetivo é levar às novas gerações a alegria e a riqueza de um dos textos mais importantes e conhecidos da dramaturgia infanto-juvenil, considerado uma obra-prima por críticos e artistas.

Segundo a diretora Cacá Mourthé, desde 1955, Pluft, O Fantasminha vem sendo montado por amigos, familiares, alunos, ex-alunos consagrados. ¨Sempre com muita emoção e muito afeto, muito afeto mesmo. Estamos caminhando para a nona montagem e esta comemorativa dos dez anos da última apresentação. Pluft é um verdadeiro caleidoscópio de emoções e parcerias, encontros e amizades. Um clássico como Pluft deveria estar permanentemente em cartaz assim como O Pássaro Azul, de Stanislavski, que permanece há anos e anos em cartaz na Rússia, em Moscou.”, afirma a diretora.

Sinopse

A peça conta a história do rapto da Menina Maribel (Miriam Freeland) pelo Pirata Perna-de-Pau (Thelmo Fernandes), em busca do tesouro do avô da menina, o Capitão Bonança, que morreu no mar deixando lá no fundo a sua herança. Enquanto os amigos de Maribel, o trio João (João Sant’Anna) / Julião (Pedro Kosovski) / Sebastião (Sergio Maciel), saem à sua procura, o vilão esconde a menina no sótão de uma velha casa abandonada onde vive uma família de fantasmas: o fantasminha Pluft (Claudia Abreu), que nunca viu gente; a Mãe (Graziella Moretto), que faz deliciosos pastéis de vento e vive conversando ao telefone com Prima Bolha; Tio Gerúndio (José Lavigne), que passa o dia inteiro dormindo dentro de um baú; e Xisto (representado por um boneco), o primo aviador que surge apenas no final para ajudar no salvamento da menina.

Pluft, o Fantasminha– uma história que começou em 1955

O texto de Maria Clara Machado estreou tornou-se um clássico da literatura dramática brasileira, inaugurando, em sua síntese poética, uma linguagem teatralmente elaborada para crianças.

“Pluft” estreou no Tablado em setembro de 1955 e desde então não parou de correr os palcos do Brasil e do exterior, fascinando gente de todas as idades – existem espectadores dos anos 50 que já são avós, tendo acompanhado seus filhos para ver a peça que os encantara quando crianças e mais tarde os netos, num reencontro de gerações com o personagem criado por Maria Clara Machado.

Marco tanto na história do Teatro O Tablado quanto do teatro infantil brasileiro, “Pluft” consolidou o prestígio do grupo fundado por Maria Clara. O badalado Prêmio Saci, atribuído ao espetáculo pela crítica paulista, sancionaria a importância da peça.

O impacto sobre as platéias foi extraordinário e até hoje persiste. Considerada obra-prima por críticos e artistas, “Pluft” se aproxima dos 60 anos com o mesmo carisma e fascínio que exerceu sobre as pessoas que o assistiram há décadas atrás. Em mais cinquenta anos, a história deste fantasminha já foi traduzida para mais de dez idiomas, montada em toda a América Latina, Alemanha, França, Itália e até mesmo nos países da antiga União Soviética.

Ficha Técnica:

Texto: Maria Clara Machado
Direção: Cacá Mourthé
Elenco / Personagem:
Claudia Abreu / Pluft
Graziella Moretto / Mãe Fantasma
José Lavigne / Tio Gerúndio
Thelmo Fernandes / Capitão Perna de Pau
Miram Freeland / Maribel
Sergio Maciel / Sebastião
Pedro Kosovski / Julião
João Sant’anna / João
Direção de Movimento: Marcia Rubin
Fotos: Guga Melgar
Assistente de Direção: Zé Helou
Programação Visual: Marcus Moraes
Hair Design: Marcia Elias
Direção de Produção: Fernando do Val
Trilha Sonora: Carlos Cardoso
Desenho de Luz: Jorginho de Carvalho
Cenário: Ronald Teixeira e Flávio Graff
Figurino: Ronald Teixeira
Direção de Produção: Fernando do Val

Leia mais matérias de NANDA ROVERE

Serviço

Pluft, O Fantasminha

Teatro Procópio Ferreira (641 lugares)

Rua Augusta, 2.823 – Cerqueira César

Informações: 3083-4475. Reservas e grupos: (11) 3064-7500

Vendas: www.ingressorapido.com.br e tel.: 4003-1212.

Bilheteria: de terça à sábado, das 14h às 19h; domingo, das 14h às 18h ou até o início do espetáculo. Aceita pagamento com cartões de todas as bandeiras. Acesso a deficientes físicos, ar condicionado e entrega de ingressos a domicílio. Estacionamento conveniado na Rua Augusta, 2673 – R$ 13 (período de 4 horas, só aos sábados).

Dias 22 e 23 de novembro

(Somente quatro apresentações)

Sábado e Domingo às 11h e às 15h

Ingressos: R$ 80

Duração: 55 minutos

Classificação: a partir de 03 anos