quinta-feira, novembro 27, 2014

Os Irmãos Karamázov, de Dostoiévski, serve de inspiração para peça teatral



Karamázov, da Companhia da Memória, tem direção de Ruy Cortez e dramaturgia Luís Alberto de Abreu e Calixto de Inhamuns. Está em cartaz 15 de dezembro na SP Escola de Teatro.

O texto está dividido em três partes: Uma anedota suja, Sexta e sábado às 20h00, domingo às 17h00, segunda às 19h00; Os irmãos, Sexta e sábado às 21h30, domingo às 18h30, segunda às 20h30 e Os meninos, Sexta e sábado às 23h30, domingo às 20h30, segunda às 22h30.

Última obra de Dostoiévski, Os Irmãos Karamázov, escrito em 1879, é um romance considerado obra-prima do escritor e influenciou pensadores como Nietzsche e Freud.

Karamázov traz diversos pontos de vista a respeito de um mesmo tema: o assassinato do Pai e é composto de três peças independentes entre si: Uma anedota suja, Os irmãos e Os meninos.

A primeira obra Karamázov: Uma anedota suja é uma recriação do conto Uma História Lamentável de Fiódor Dostoiévski e o embrião filosófico das outras duas peças. Na trama, o funcionário público Ivan Illitch Pralinski, depois de beber demais resolve praticar a bondade com pessoas de baixo estatuto social e, para isso, invade uma festa a casamento de seu subordinado.

A segunda e a terceira são recriações do romance Os Irmãos Karamázov. Em Os irmãos o patriarca da rica família do comerciante Fiódor Pávlovitch Karamázov é morto por um dos filhos. Os meninos mostra um grupo de crianças de uma cidade do interior da Rússia, que chora, celebra e enterra um miserável menino que morreu tuberculoso.

O sobrenome Karamázov provavelmente é derivado do substantivo tártaro-turco kara, que significa preto, negro. Pode também derivar do russo kara, que significa castigo, e maz, radical do verbo mazat, que significa sujar, emporcalhar, lambuzar, pintar mal, borrar, errar o alvo no tiro, dando a ideia de castigo lambuzado.

Sobre Companhia da Memória

A Companhia da Memória, criada em 2007, sob direção de Ruy Cortez, reúne criadores permanentes em seu núcleo artístico e colaboradores independentes em seus espetáculos. O primeiro espetáculo, Rosa de Vidro (2007-2011), com dramaturgia de João Fábio Cabral, foi criado a partir da teia mítica “tennesseewilliana” a respeito da relação que o escritor cultivou com sua irmã, que mais tarde seria lobotomizada num sanatório. A segunda criação, Nomes do Pai (2010-2012), com dramaturgia de Luís Alberto de Abreu, é uma radical versão teatral sem palavras para um conjunto de cartas, Carta ao Paide Franz Kafka e Cartas a um Jovem Poeta de Rainer Maria Rilke. O espetáculo estreou no Teatro Ágora em São Paulo. Apresentou-se em Santiago de Querétaro, no México e em Sevilla, na Espanha. Realizou temporada no Teatro da Funarte e no Novo Teatro Coletivo, ambos em São Paulo. Circulou pelo interior dos estados de São Paulo e Minas Gerais. A obra foi indicada ao Prêmio Cooperativa

Paulista de Teatro na categoria Dramaturgia. Além de suas próprias criações a Companhia se responsabilizou pela criação de dois outros espetáculos, resultados de processos pedagógicos gerados por outras instituições. Coração na Bolsa (2011), de Marcus Leonie Yerma (2012-2013), de Federico Garcia Lorca, com o Corpo Estável de Teatro de Jundiaí, em cartaz no Teatro Polytheama.

Sobre Ruy Cortez – Direção

Diretor teatral e fundador da Companhia da Memória. É sócio-fundador e diretor artístico-pedagógico do Centro Internacional de Teatro Ecum (CIT-Ecum). Por seu trabalho como curador artístico da programação de espetáculos do CITEcum, foi indicado junto ao conselho gestor dessa instituição, ao Prêmio Shell 2013 na categoria inovação, pela realização plural de seu projeto artístico-pedagógico. É pesquisador do Sistema Stanislawski e das áreas de Pedagogia e Encenação do Teatro Russo - tendo já realizado três residências artísticas em Moscou - em 2006 no GITIS (Academia Russa de Arte Teatral), em 2009 no Teatro de Moscou sob a direção de Oleg Tabakov e em 2011, pelo período de sete meses, no Teatro de Arte de Moscou (MXAT) e no Centro Meyerhold.

Ficha Técnica:

Direção: Ruy Cortez
Dramaturgia: Luís Alberto de Abreu e Calixto de Inhamuns
Cenografia: André Cortez
Figurino: Anne Cerutti
Iluminação: Fábio Retti
Supervisão musical: Uma anedota suja Jean Pierre Kaletrianos
Música original e direção musical Os irmãos: Gregory Slivar
Música original e direção musical Os meninos: Lincoln Antonio
Música incidenta: Gregory Slivar
Violino Os irmãos e Os meninos: Jean Pierre Kaletrianos
Piano Os irmãos e Os meninos: Rafael Steinhauser
Preparação vocal :Stenio Mendes
Preparação corporal :Toshi Tanaka
Consultoria em cultura russa Jênia Kolesnikhova
Retratos dos Karamázov: Rodrigo Cunha
Workshops Uma anedota suja: Beatriz Sayad e Paola Musatti

Tradução em áudio do livro A Lenda do Grande Inquisidor de Vladimir Rozánov, registro fotográfico e fotografia dos retratos dos Karamázov: Mônica Côrtes

Fotos divulgação: Bob Sousa
Design gráfico: Graziela Kunsch
Programação visual: Eduardo Linke
Assessoria de imprensa: Adriana Monteiro – Ofício das Letras
Idealização, concepção e direção geral do projeto: Ruy Cortez
Realização e produção: Companhia da Memória

Leia mais matérias de NANDA ROVERE

Serviço:

SP Escola de Teatro - Sede Roosevelt (Praça Roosevelt, 210 - Consolação)

De 01 de novembro a 15 de dezembro de 2014

Capacidade: 74 lugares

A obra pode ser vista em 3h45 em um único dia ou separadamente.

Ingressos 20 reais (inteira), 10 reais (meia-entrada). Promoção: Na compra do segundo e/ou terceiro ingresso: 10 reais (inteira) e 05 reais (meia-entrada). A bilheteria abre uma hora antes do início do espetáculo

Indicação de faixa etária: 14 anos

Sextas, sábados, domingos e segundas (nos dias 07, 14 e 28 de novembro não haverá apresentações do espetáculo, em virtude da realização do Ciclo de encontros “Os Irmãos Karamázov: um romance múltiplo.). Telefone: 11 37758600

Karamázov: Uma anedota suja. Peça em 1 ato. 60 minutos.Com os atores Rafael Steinhauser e Jean Pierre Kaletrianos. Dir. Ruy Cortez. (60 min). SP Escola de Teatro - Pça Roosevelt, 210. Centro. T. 11 3775.8600. Sex e sab, 20h, dom, 17h, seg, 19h. R$20. 14 anos. De 01/11 a 15/12. Não haverá sessão no dia 28/11.

Karamázov: Os irmãos. Peça em 2 atos. 110 minutos, incluindo intervalo de dez minutos. Com Antonio Salvador, Eduardo Osório, Marcos de Andrade e Ricardo Gelli. Dir. Ruy Cortez. (110 min com intervalo de dez minutos incluso). SP Escola de Teatro - Pça Roosevelt, 210. Centro. T. 11 3775.8600. Sex e sab, 21h30, dom, 18h30, seg, 20h30. R$20. 14 anos. De 01/11 a 15/12. Não haverá sessão no dia 28/11.

Karamázov: Os meninos. Peça em 1 ato. 50 minutos.Com Antonio Salvador, Eduardo Osório, Marcos de Andrade e Ricardo Gelli. Dir. Ruy Cortez. (50 min). SP Escola de Teatro - Pça Roosevelt, 210. Centro. T. 11 3775.8600. Sex e sab, 23h30, dom, 20h30, seg, 22h30. R$20. 14 anos. De 01/11 a 15/12. Não haverá sessão no dia 28/11.