quarta-feira, dezembro 10, 2014

Não sou Bistrô mistura teatro e gastronomia


O dramaturgo, ator, produtor e fotógrafo Paulo Emílio Lisboa concedeu entrevista para o site Folha da Cultura.


Sobre o espetáculo:

A comédia Não Sou Bistrô, com direção de Léo Stefanini, traz em cena a disputa de chefs de alta gastronomia para uma vaga em um dos maiores restaurantes de Barcelona.

A peça está em cartaz no Teatro Jaraguá, com apresentações de quinta a domingo. Margherita, interpretado pelo ator Eduardo Galvão, é um badalado chef da alta gastronomia Catalã, mas sofre um ataque do coração e precisa encontrar um substituto na cozinha.

Penélope (Camila Czerkes) e Henry (Paulo Emílio Lisboa) são jovens profissionais que tentam impressionar o chef para assumirem o cargo no restaurante.

A decisão não será fácil e os jovens farão de tudo para agradar Margherita.
 


ENTREVISTA COM PAULO EMÍLIO LISBOA

Paulo Emílio Lisboa fala sobre o espetáculo e como é estar no palco interpretando um texto de sua própria autoria. Conta também como surgiu a ideia da história, fala sobre a sua paixão por gastronomia e o sucesso da peça, que foi criada a partir de pesquisas realizadas com grandes chefs europeus.

Nanda Rovere: Como surgiu a ideia do texto?

Paulo Emílio Lisboa: Sou um apaixonado por gastronomia. Cozinho com muita frequência, então pensei por que não unir Teatro e Gastronomia?! Aí veio a ideia, a história toda na minha cabeça e a coloquei no papel.

Nanda Rovere: Neste sentido, tem algum conhecimento específico sobre o mundo da gastronomia? Fez alguma pesquisa em especial para o espetáculo?

Paulo Emílio Lisboa: Eu visitei vários restaurantes premiados para conhecer a rotina e o dia a dia deles. Fui ao El Celler de Can Roca, em Girona, na Espanha, que foi considerado o primeiro do mundo; o Alain Ducasse, em Paris; Tickets e Dos Cielos, em Barcelona; e o Le Chateaubriand, em Paris. Em todos eles consegui bater um papo com os Chefs, que me contaram várias histórias, inclusive algumas delas entraram na peça.

Nanda Rovere: Na sua opinião, qual é o ingrediente da peça responsável pelo sucesso com o público?

Paulo Emílio Lisboa: O humor. É impressionante como brasileiro ama humor.

Nanda Rovere: Quais os momentos mais engraçados da peça?

Paulo Emílio Lisboa: Posso citar 2. A primeira, onde o público aplaude em cena aberta, é uma cena de locução em que brincamos com dublagem de cinema e televisão. Também tem a cena do cliente português, que é um típico cliente mala e que diverte o público com suas pontuações.

Nanda Rovere: Como é interpretar o próprio texto?

Paulo Emílio Lisboa: Pensei que seria mais fácil, mas tive que matar todos meus egos. O que mais dói é participar dos ensaios e ver o diretor cortando algumas cenas, mas sabemos que é para um bem maior. A peça teria 2h00 e ficou com 1h20.

Como a vida do ator se resume, basicamente, em esperar o telefone tocar para trabalhar resolvi ligar para mim mesmo, risos. Foi mais ou menos assim:

- ¨Paulo Autor: "Oi Paulo tudo bem?"

- Paulo ator: - "Tudo pois não?!"

- Paulo Autor:"To com um texto aqui e adoraria que você neste projeto".

- Paulo ator: "Oh que bom, ai de você se você não me ligasse!"

Nanda Rovere: O que pensa desses programas de gastronomia, que como na peça, mostram jovens talentos fazendo de tudo para a conquista do sucesso?

Paulo Emílio Lisboa: Adoro o Master Chef, me divirto e acho ótimo. Conheço os chefs Erick Jacquin e Henrique Fogaça e posso dizer que a equipe do programa brasileiro juntou personalidades que se completam em um mesmo lugar. Na minha opinião, ficou perfeito.

Nanda Rovere: Qual o seu prato preferido?

Paulo Emílio Lisboa: Prato preferido?! Não tenho um, mas sim alguns... Desculpe, mas acho impossível responder essa risos...

Nanda Rovere: Além de ator e dramaturgo, você e produtor e fotógrafo. Como concilia essas atividades?

Paulo Emílio Lisboa: Com pouco sono e uma cabeça que não para nunca! (risos). Mas adoro que seja assim. Amo a Arte, não importa qual o canal que eu use para me comunicar. O importante é que Ela toque alguém. Se neste projeto conseguirmos levar felicidade e sensibilizar ao menos uma pessoa, a arte cumpriu o seu papel.

Nanda Rovere: A peça termina a temporada com sucesso. Ela volta no ano que vem?

Paulo Emílio Lisboa: Dependemos dos patrocinadores. Todos queremos muito, acredito que logo estaremos de volta.

Leia mais matérias de NANDA ROVERE

Ficha Técnica:

Elenco:

Eduardo Galvão
Camila Czerkes
Paulo Emílio Lisboa
João Bresser
Carlinhos Machado
Ton Prado
Renata Fasanella
Kauê Gibran

Direção: Léo Stefanini e Néia Barbosa

Texto: Paulo Emílio Lisboa

Produção Executiva: Paulo Emílio Lisboa

Figurino: Marcela Andrade

Fotógrafo: Tiago Mendes

Produção de Casting: Andrea Coelho

Maquiagem: Alice Martins

Cenário: Freddy Hermann

Assistente de Produção: Gabriela Fiorentino

Serviço

Quando: até 21/12*

Quintas 21h00 - Sextas 21h30 - Sábados 21h00 - Domingos 19h00

*dia 05 de dezembro não haverá espetáculo

Onde: Teatro Jaraguá

Rua Martins Fontes, 71 – Centro

Quanto: R$ 60,00 / meia R$ 30,00

Lotação: 271 lugares

Censura: 14 anos

Duração: 75 minutos

Possui acesso para portadores de necessidades especiais

Horários da Bilheteria: Terça - Quarta: das 16h às 19h / Quinta: das 16h às 21h / Sexta: das 16h às 21h30 / Sábado: das 15h às 21h / Domingo: das 14h às 19h (Horário sujeito à alteração conforme a programação do Teatro)