terça-feira, abril 14, 2015

Lisbela e o Prisioneiro – o musical leva o universo circense para o Teatro Nair Bello





O texto teatral Lisbela e o Prisioneiro, do pernambucano Osman Lins, escrito em 1964, ficou nacionalmente conhecido, devido às versões para TV e cinema, dirigidas por Guel Arraes.

A obra ganha agora uma montagem musical, com produção da MP Produção Cultural, administrada pela atriz Ligia Paula Machado, responsável pelo espetáculo O Primo Basílio - O Musical e que interpreta Lisbela.

A adaptação para os palcos é assinada pela escritora Francisca Braga. A encenação leva para o Teatro Nair Belo uma história romântica, ambientada num universo musical circense, com a cenografia inspirada nos circos mambembes do século passado e os figurinos com roupas que lembram tipos clássicos do circo teatro, e trazem detalhes da cultura nordestina, como o uso de rendas.

No elenco, estão 8 atores/cantores, 8 músicos e 5 acrobatas circenses, que apresentam números de circo e coreografias de diferentes estilos musicais: forró, samba, roller dance e ballet contemporâneo.

Na trama, Leléu (Luiz Araújo) é um artista mambembe, de espírito livre e ações questionáveis, que chega à cidade de Vitória de Santo Antão com seu circo, após se envolver com a mulher de um matador de aluguel, o vilão Vela de Libra (Fernando Prata).

Na cidade, Leléu se apaixona por Lisbela (Lígia Paula Machado), uma linda moça que está noiva de Douglas (Beto Marden). Eles enfrentam diversas barreiras: a oposição do pai de Lisbela, a perseguição do ex-noivo da garota e a perseguição de um matador que precisa limpar a honra, já que a sua mulher teve um caso amoroso com Leléu.

A trilha sonora merece atenção: traz canções de grandes nomes da nossa música, como Zé Ramalho, Pixinguinha, Dominguinhos, Filipe Catto, Caetano Veloso, João Pernambuco, entre outros. Os arranjos do maestro e diretor musical Dyonisio Moreno imprimem uma mistura de ritmos regionais com pop rock.

Um musical que diverte e valoriza a cultura e os artistas brasileiros e que, além disso, coloca em cena uma fábula com personagens que trazem a linguagem e tipos característicos da região nordestina.

A história é ambientada num cenário patriarcal e de desmandos, no qual o crime e a violência são acobertados pelas autoridades, mas no final, depois de

muitas brigas e confusões, o espírito libertador de Leleu vence: Lisbela consegue a aprovação do seu pai para fugir com o seu grande amor.

ENTREVISTA LIGIA PAULA MACHADO

Leia mais matérias de NANDA ROVERE

Nanda Rovere - Como surgiu a ideia de encenar Lisbela e o Prisioneiro?

Ligia Paula Machado - Eu sempre amei o filme e como produtora achei que fosse vender muito bem uma obra brasileira adaptada para comédia musical circense.

NR - Como é produzir um espetáculo que as pessoas conhecem a história devido ao grande sucesso na TV e cinema? Qual é a expectativa?

LPM - É uma responsabilidade muito grande, pois as pessoas já têm um parâmetro devido ao filme. Quando o público vai para o teatro com expectativa é um risco. Mas foi justamente esta palavra que me motivou durante toda a construção do musical: risco. Fazer de Lisbela e o Prisioneiro uma grande fábula, um "palco da ilusão" foi um risco do começo ao fim.

NR - Como foi o processo de ensaios para que essa mistura de teatro, dança, música e circo fique perfeita?

LPM - Foi um processo intenso, dividido em partes. Partimos do texto, fomos para as concepções de cenário, depois para as coreografias (já que se tratava de um universo circense, as coreografias não poderiam servir somente para ilustrar), seguimos para as criações musicais e só então para a direção cênica.

NR - Como é dividir a cena com o Luiz Araújo, que além de amigo, trabalhou com você no espetáculo O Primo Basílio?

LPM - Sim. Luiz me acompanha no palco e na vida. Ele é aquele amigo e companheiro para as horas certas e incertas. Eu me lembro que em 2013 passei por algumas dificuldades para captar o Lisbela, claro que o Luiz teve que passar pelas audições como todos, mas ele sempre acreditou e confiou que eu conseguiria levantar o nosso "circo". Fora o que é uma delícia dividir cena com ele!

NR - Para interpretar a Lisbela vc se inspirou na versão para TV e cinema? Como foi o seu processo de criação dessa moça romântica?

LPM - Claro! Ter a Débora Falabella como referência é um prato cheio!! Eu sou super fã.Li o livro também e tive que ter a consciência que a linguagem do teatro é bem diferente da TV/Cinema, mesmo porque nossa montagem tende ao surreal, à fabula.

NR - A trilha sonora é fantástica ( Zé Ramalho, Pixinguinha, Dominguinhos, Filipe Catto, Caetano Veloso, João Pernambuco, entre outros). Como foi a escolha do repertório? Todo o elenco canta em cena?

LPM - A Francisca Braga, adaptadora, supervisora e minha sócia também assina a escolha do repertório musical. Os números musicais contam a história, por isso foi tão difícil escolher as músicas. Todo elenco canta, são 14 músicas brasileiras que recheiam o musical.

NR - Algo que queira acrescentar?

LPM - Tive a sorte de conseguir escolher, junto com a minha equipe, um elenco primoroso, extremamente talentoso e singular.



Ficha Técnica:

Autor: Osman Lins

Adaptação e supervisão geral: Francisca Braga

Direção Geral: Dan Rosseto e Ligia Paula Machado

Direção Musical: Dyonisio Moreno

Supervisão Circense: Roger Pendezza

Repertório Musical: Francisca Braga

Elenco: Luiz Araújo (Leléu), Ligia Paula Machado (Lisbela), Beto Marden (Douglas), Marilice Cosenza (Inaura), Nill de Pádua (Tenente Guedes), Fernando Prata (Vela de libra/Frederico Evandro), Jonatan Motta (Cabo Citonho) e Milene Vianna (Francisquinha).

Músicos: João Paulo Pardal (guitarra e violão), Renan Cacossi (pífano e flauta transversal), Maristela Silvério (piano), Jonatan Motta (violino), Azael Rodrigues (bateria e percussão), Daniel Warchauer (acordeon), Augusto Brambilla (baixo acústico e elétrico)

Coreografias: Ligia Paula Machado e Roger Pendezza

Instrutor de Roller Dance: Alex Bonanza

Cenografia, figurinos e designer de luz: Kleber Montanheiro

Aderecista: Michele Rolandi

Costureira: Euda Alves de Souza

Designer de Som: Felipe Marcondes

Fotos: Guilherme Rigo

Assessoria de Imprensa: Fabio Camara

Assistentes de Produção: Paula Davanço e Bruno Santos

Direção de Produção: Ligia Paula Machado

Realização: MP - Produção Cultural

Serviço:

Teatro Nair Bello – Shopping Frei Caneca 3º piso (Rua Frei Caneca, 569 – Consolação), 200 lugares. Acesso a deficiente.

DATA: 10/04 até 07/06 (Sexta às 21h30, Sábado às 21h00 e Domingo às 19h00)

INGRESSOS: R$ 80,00 (inteira) e R$ 40,00 (meia)

VENDAS PELA INTERNET: www.ingresso.com

INFORMAÇÕES: 3472-2414

DURAÇÃO: 105 minutos

CLASSIFICAÇÃO: Livre